Shorin-Ryu Karatê-dô

karate Shorin-ryuA Escola(ryu) Shorin de Karatê-dô de Okinawa se desenvolveu através do intercâmbio cultural entre as dinastias Ryukyu e as dinastias chinesas. E isso é facilmente percebido pela observação e estudo das formas do kata Naihanchi, que conserva nitidamente os fundamentos do Hokunda Sorin (Shaolin do Norte), arte chinesa muito difundida nos mosteiros budistas da China.

Nesta época, o arquipélago Ryukyu era formado por aproximadamente 70 ilhas, localizado entre Taiwan e o Japão. Okinawa é a principal ilha deste arquipélago, que se dividia em três reinos: Hoku San, Chu San e Nan San; mais tarde, em 1429, unificada pelo Rei ShoShin de Chu San, que buscando a estabilidade política e paz no seu reino, proibiu o uso de armas.

Ao estudarmos a origem do Karatê, podemos ver que havia, naquela época, três cidades muito importantes em Okinawa: Shuri (a capital), Naha e Tomari Gusuku (distrito de controle direto da dinastia). Devido ao desenvolvimento do Te em cada uma delas ser um pouco diferente, cada “estilo” adotou o nome da cidade onde estava sendo desenvolvido. Assim surgiram o Shuri-te, o Naha-te e o Tomari-te.

Esta escola de Karatê descende diretamente do Shuri-te, que era uma arte marcial permitida somente para oficiais militares e samurais da dinastia Ryukyu, centralizada ao redor do castelo de Ryukyu e foi transmitida ao longo das gerações na forma que se segue:

1º Sokon Matsumura (orientador de artes marciais e diretamente ligado ao Rei)

2º Anko Itosu (secretário da Família Real)

3º Chosin Chibana Sensei.

O Shuri-te era um estilo considerado como derivado do “Shaolin externo”, bastante explosivo e rápido. Um dos grandes mestres deste estilo foi Sokon “Bushi ” Matsumura (1809-1901), aluno do mestre Sakugawa. Este mestre ensinou sua arte não só aos habitantes de Shuri como a alguns praticantes das outras cidades. O Naha-te era um estilo forte e que fazia ênfase na respiração e como tal, foi descrito como “Shaolin interno”.

O “Shuri-te” era chamado de escola Shorin e “Naha-te” de escola “Shorei”. Na época de seus melhores discípulos, a escola “Shorin” (mata luminosa) foi denominada de escola “Shorin” (mata pequena) pelo professor Choshin Chibana (falecido) e a escola “Shorei” denominada “Goju” pelo professor Chojun Miyagui (falecido) e assim continua até hoje.

Foi justamente na época do Sensei Chosin Chibana que o Shorin-Ryu Karatê-Dô foi denominado Okinawa Karatê-Dô Shorin-ryu.

Como as características do Estilo Shorin, temos os seguintes pontos principais:

RESPIRAÇÃO: O método de respiração deve ser com postura natural sem mostrar “suki” (momento instantâneo de desatenção, descuido, imprudência, precipitação) e/ou “iro”(cor ou fisionomia do rosto) ao adversário. É importante dar um movimento rápido com inteligência. Portanto, não pode alterar a cor do rosto e, a respiração e inspiração não podem ser percebidas pelo adversário

FORÇA: A aplicação da força é de dentro pra fora e é importante concentrá-la instantaneamente. Portanto, embora a linha de “enbu” (movimento das partes do corpo durante o exercício de arte marcial) seja reta, para o ataque e a defesa são exigidas agilidade aproveitando o movimento circular e, eles devem ser reunidos em um só movimento com rapidez e inteligência.

LONGEVIDADE: No estilo Shorin-Ryu, por causa das suas características, há muito mais pessoas de longa vida, e nas épocas em que diziam que a vida do homem é de cinqüenta anos, os mestres terminavam a vida com mais de oitenta anos. Este fato da convicção de que este estilo é uma arte marcial mais apropriada para saúde também.

Assim, o Wado-Ryu Karatê-Dô se baseia em três alicerces:

– Filosofia do Budô;
– Desenvolvimento Esportivo;
– Convívio Social.

E tem como objetivo criar um homem útil tanto a sociedade como à família, tornando seu praticante forte fisicamente e equilibrado mentalmente.

Fonte:Okinawa Shorin-Ryu Karatê-Dô Shidokan Brasil

Visite o site do Shorin-Ryu Brasil