Filosofia do Shotokan-Ryu Karatê-dô

Princípios-Marciais1

Podemos dizer que o Karatê-Dô tem como filosofia o desenvolvimento humano e o controle das emoções. Assim, aquele que se adestra nas artes do Karatê dificilmente será posto em combate. Isso porque, dentre os ensinamentos passados pelos Mestres aos Alunos, o principal é a não agressão e o respeito ao curso da vida e ao seres vivos.

Tais ensinamentos sendo incorporados à educação do individuo, leva-o a um estado de paz e harmonia com o mundo a sua volta.

A filosofia do Shotokan-Ryu Karatê-Dô, dispõe de um rico acervo cultural, tendo em vista as diversas influências filosóficas pelas quais o Sensei Gichin Funakoshi teve contato durante a sua juventude e que o acompanhou por toda a vida.

Não é demais lembrar que o Sensei Gichin Funakoshi, além de ter sido instruído por grandes mestres, que além de serem exímios budoistas, ainda eram grandes eruditos. O próprio Sensei era professor da rede pública.

Além de estudar os clássicos chineses, estudou os princípios do Bushido, a Arte da Guerra ainda estudou Hagakure e Gorin no Sho.

Portanto, os princípios do Shotokan, têm em sua essência os ensinamentos dos antigos códigos.

Cada estilo de karatê possui uma série de princípios, chamados Dojokun.

Abaixo colocamos os 5 princípios do Dojokun do estilo Shotokan-Ryu.

DOJOKUN

Quando você lê o Kun (mandamentos) você provavelmente notará algo. Cada linha começa com primeiro. O mestre Funakoshi entendia que nenhum item do Kun fosse mais importante do que o outro. Por isso, cada item foi numerado como sendo o primeiro.

DOJO é local de treinamento, local onde se busca alcançar o equilíbrio (físico + espiritual) através da prática do Karatê-do. Os Dojo’s de Karatê possuem regras (lemas= “kun”) que são preceitos práticos (influência Confuncionista) que devem guiar o Karatê-ka na sua busca de autocontrole. O Karatê-ka se lembra deles todos os dias ao terminar e iniciar os treinamentos. São eles:

Infográfico-Dojokun2

OS 5 PRINCÍPIOS

HITOTSU. JINKAKU KANSEI NI TSUTOMURO KOTO.
PRIMEIRO. ESFORÇAR-SE PARA FORMAÇÃO DO CARÁTER.

Ser uma pessoa conhecida por ser tratável é mais importante que ser conhecido por ter força ou conseguir dar chutes e socos bonitos. Ser querido é melhor que ser temido. Tornar-se uma boa pessoa é mais importante que tudo para o Karatê-ka.

Praticar o Karatê para obter principalmente paciência, perseverança, concentração e humildade.
Em combate, desenvolver a humildade, a piedade, o controle.

HITOTSU. MAKOTO NO MICHI WO MAMURO KOTO.
PRIMEIRO. FIDELIDADE PARA COM O VERDADEIRO CAMINHO DA RAZÃO.

A razão é a faculdade de avaliar, julgar, estabelecer relações lógicas e entender, sendo estes atributos exclusivos da espécie humana. O Karatê-ka busca tornar-se cada vez mais humano e, ao mesmo tempo em que combate o lado animal, cultiva o espiritual. Tenta assim buscar os motivos, entender as conseqüências, refletir as atitudes, compreender o mundo e a vida enfim, o que distingue um aluno de um mestre ou Sensei é que o Sensei “nasceu antes” para a vida de reflexão em torno dos motivos que regem a o cosmo.

HITOTSU. DORYOKU NO SEISHIN O YASHINAU KOTO.
PRIMEIRO. CRIAR O INTUITO DE ESFORÇO.

Mesmo quando não se está dando conta é importantíssimo estar tentando sempre de modo a desenvolver em si a habilidade que não possui. Quando se tem pouca paciência, é suportando um pouco mais que se a aumenta. Quando se é fraco, é suportando uma carga um pouco maior que se vai conseguir fortalecer. Esforçar implica em ir além dos limites, sejam eles físicos ou espirituais.
Este item deve ser treinado principalmente fora do DOJO: esforçar mais na escola (no estudo e no comportamento), em casa (no respeito e na obediência) e no trabalho.

HITOTSU. REIGI O OMONZURU KOTO.
PRIMEIRO. RESPEITO ACIMA DE TUDO.

A essência do Karatê-do é a cortesia, porque seu propósito é aprimoramento pessoal (“Não aprimoramos para lutar, mas lutamos para aprimorar.”), e este aprimoramento deve se revelar em todos os aspectos da pessoa.
A pessoa deve pensar de modo mais correto, sentir de modo mais harmonioso, conseguir movimentar-se com mais equilíbrio e precisão e relacionar-se com os outros de modo mais sensato. Não devem importar os motivos, mas o nosso comportamento final. Por isto o “acima de tudo”. Quem segue verdadeiramente este preceito não vai justificar depois uma conduta desrespeitosa, mas vai sempre demonstrar nas atitudes a ideia que abraça.

HITOTSU. KEKKI NO YU O IMASHIMURU KOTO.
PRIMEIRO. CONTER O ESPÍRITO DE AGRESSÃO.

As pessoas possuem em si o instinto animal que as impele a comportar-se como tal, e o animal agride quando ferido, acuado ou quando seu espaço pessoal é invadido e neste comportamento ele muitas vezes se expõe à morte. O homem, por ser superior (potencialmente superior) se ofendido, tem a opção de revidar ou procurar uma situação mais confortável longe do ofensor, provocado, pode procurar uma visão diferente que o permita entender o seu caluniador.

Só quem busca conter o lado animal é que realmente pode alcançar toda a dimensão do karatê-do, porque vazio de todo pensamento e intenção premeditada, pode refletir o mínimo impulso que sobre ele se projeta.

NIJUKUN

Os vinte princípios do Karatê foram estabelecidos por Gichin Funakoshi como um instrumento de orientação para os seus discípulos poderem explorar mais plenamente os aspectos espirituais do Caminho do Karatê, ou Karatê-Dô. Na antiguidade, o Karatê era ensinado em segredo em Okinawa, a terra natal do mestre Funakoshi. Ele tomou para si a tarefa de introduzir e encorajar a prática do Karatê na capital, Tóquio, onde continua a prosperar.

Aqueles que ambicionam exercitar-se no Caminho do Karatê não devem se preocupar apenas com os aspectos técnicos; precisam também procurar cultivar os aspectos espirituais do Caminho, uma vez que o verdadeiro Karatê-Dô instrui tanto a mente quanto o corpo. Os vinte princípios de Gichin Funakoshi propiciam àqueles que se iniciam no Karatê-Dô um meio de acesso ao lado espiritual da arte marcial. Para aqueles que já estão se adestrando nessa arte, os princípios funcionam como um recurso fecundo e proveitoso para o desenvolvimento espiritual.

Os vinte princípios a seguir foram redigidos por O-Sensei Gichin Funakoshi e comentados pelo Sensei Genwa Nakasone, em seu livro “Os 20 Princípios do Karatê-Dô”, o qual foi lido e aprovado pelo Mestre Funakoshi.

20 PRINCÍPIOS
Primeiro Ensinamento
HITOTSU KARATE DO WA REI NI HAJIMARI REU NI OWARU KOTO WO WASURUNA
NÃO SE ESQUEÇA DE QUE O KARATÊ-DO COMEÇA E TERMINA COM REI

Segundo Ensinamento
HITOTSU – KARATE NI SENTE NASHI
NO KARATÊ NÃO EXISTE ATITUDE OFENSIVA.

Terceiro Ensinamento
HITOTSU – KARATE WA GI NO TASUKE
O KARATÊ É UM ASSISTENTE DA JUSTIÇA.

Quarto Ensinamento
HITOTSU – MAZU JIKO WO SHIRE SHIKOSHITE TAO WO SHIRE
CONHEÇA A SI PRÓPRIO ANTES DE JULGAR OS OUTROS.

Quinto Ensinamento
HITOTSU – GIJUTSU YORI SHINJUTSU
O ESPÍRITO É MAIS IMPORTANTE DO QUE A TÉCNICA.

Sexto Ensinamento
HITOTSU – KOKORO WA HANATAN WO YOSU
A MENTE DEVE FICAR LIVRE.

Sétimo Ensinamento
HITOTSU – WAZAWAI WA GETAI NI SHOZU
OS INFORTÚNIOS SÃO CAUSADOS PELA NEGLIGÊNCIA.

Oitavo Ensinamento
HITOTSU – DOJO NO MI NO KARATE TO OMOUNA
KARATÊ NÃO SE LIMITA APENAS AO DOJO.

Nono Ensinamento
HITOTSU – KARATE NO SHUGYO WA ISSHO DE ARU
O APRENDIZADO DO KARATÊ DEVE SER PERSEGUIDO DURANTE TODA A VIDA.

Décimo Ensinamento
HITOTSU – ARAI YURU MONO WO KARATEKA SEYO SOKO NI MYOMI ARI
O KARATÊ DARÁ FRUTOS QUANDO ASSOCIADO À VIDA COTIDIANA.

Décimo Primeiro Ensinamento
HITOTSU – KARATE WA YU NO GOTOSHI TAEZU NETSUDO WO ATAEZAREBA MOTO NO MIZU NI KAERU
O KARATÊ É COMO ÁGUA QUENTE. SE NÃO RECEBER CALOR CONSTANTEMENTE TORNA-SE ÁGUA FRIA.

Décimo Segundo Ensinamento
HITOTSU – KATSU KANGAE WA MOTSUNA MAKENU KANGAE WA HITSUYO
NÃO PENSE EM VENCER, PENSE EM NÃO SER VENCIDO.

Décimo Terceiro Ensinamento
HITOTSU – TEKI NI YOTTE TENKA SEYO
MUDE DE ATITUDE CONFORME O ADVERSÁRIO.

Décimo Quarto Ensinamento
HITOTSU – TATAKAI WA KYOJITSU NO SOJU IKAN NI ARI
A LUTA DEPENDE DO MANEJO DOS PONTOS FRACOS (KYO) E FORTES (JITSU).

Décimo Quinto Ensinamento
HITOTSU – HITO NO TEASHI WO KEN TO OMOU
IMAGINE QUE OS MEMBROS DE SEUS ADVERSÁRIOS SÃO COMO ESPADAS.

Décimo Sexto Ensinamento
HITOTSU – DANSHIMON WO IZUREBA HYAKUMAN NO TEKI ARI
PARA CADA HOMEM QUE SAI DO SEU PORTÃO, EXISTEM MILHÕES DE ADVERSÁRIOS.

Décimo Sétimo Ensinamento
HITOTSU – KAMAE WA SHOSHINSHA NI ATO WA SHIZENTAI
NO INÍCIO SEUS MOVIMENTOS SÃO ARTIFICIAIS, MAS COM A EVOLUÇÃO TORNAM-SE NATURAIS.

Décimo Oitavo Ensinamento
HITOTSU – KATA WA TADASHIKU JISSEN WA BETSUMONO
A PRÁTICA DE FUNDAMENTOS DEVE SER CORRETA, PORÉM NA APLICAÇÃO TORNA-SE DIFERENTE.

Décimo Nono Ensinamento
HITOTSU – CHIKARA NO KYOJAKU KARADA NO KANKYU WAZA NO SHINSHUKU WO WASURUNA
NÃO SE ESQUEÇA DE APLICAR CORRETAMENTE: ALTA E BAIXA INTENSIDADE DE FORÇA, EXPANSÃO E CONTRAÇÃO CORPORAL, TÉCNICAS LENTAS E RÁPIDAS.

Vigésimo Ensinamento
HITOTSU – TSUNE NI SHINEN KUFU SEYO
MANTENHA-SE SEMPRE ATENTO, DILIGENTE E CAPAZ NA SUA BUSCA DO CAMINHO.

Os vinte princípios aplicam-se não só ao Karatê, mas também às artes marcais em geral, assim como a todas as atividades humanas. Muitos estudantes do Karatê têm a impressão de que essa modalidade de artes marciais é, mais que tudo, um instrumento para sair vitorioso em disputas e aumentar a força física. No entanto, conforme é explicado neste livro, opiniões como essas refletem um total desconhecimento e um grande mal-entendido em relação a essa arte marcial. O Karatê é muito mais que simplesmente uma técnica para obter a vitória em combate. É uma maneira de cultivar o espírito. Os princípios aqui apresentados podem ser aplicados na vida diária tanto pelos seus praticantes quanto por aqueles que não o praticam.

Mestre Funakoshi dizia: “O Karatê é um caminho para o cultivo do espírito, um regime físico que não requer muita disposição, um programa de condicionamento físico e uma arte de defesa pessoal.” É verdade que o Karatê não é a única maneira de conservar aqueles que foram abençoados com extrema força e disposição. O verdadeiro Karatê-Dô deve necessariamente estar ao alcance de todos os tipos de pessoas em qualquer lugar do mundo, não importa a idade. E só porque é um caminho para o cultivo espiritual, isso certamente não significa que os praticantes devam tornar-se excessivamente religiosos ou solenes demais. O próprio mestre Funakoshi era uma pessoa muito aberta e acessível. Se ainda estivesse vivo, sem dúvida recomendaria que “qualquer aprendiz do Karatê, por mais ocupado que esteja no trabalho ou na escola deve manter o espírito do Karatê com o maior rigor possível, da maneira mais natural e relaxada possível, e por quanto tempo for possível”. Conforme declara o nono princípio, “O Karatê é uma atividade vitalícia”.

Além destes princípios, outros tantos ensinamentos são passados através da história de vida destes mestres e/ou de suas obras literárias.