Kendo

Kendo
O Kendo é uma arte marcial japonesa moderna (gendai budo), desenvolvida a partir das técnicas tradicionais de combate com espadas dos samurais do Japão feudal, o Kenjutsu. O praticante de kendô é chamado de kenshi ou kendoka. Podemos dizer que o kendô é uma versão esportiva do Kenjutsu.

Porém, apesar da visão esportiva, a prática do kendô não se limita ao manejo da shinai (espada de bambu), Bokuto (espada de madeira) ou kataná (espada longa japonesa), mas abrange também a prática e cultivo do espírito e do Reigi (etiqueta), originária dos diversos estilos de kenjutsu.

No Japão, é uma das artes marciais mais populares e está se espalhando continuamente em todos as partes do mundo assim como sua popularidade.

O ken (espada) é estudado de duas formas: prática (shiai) e o kata.

Objetivo da prática de kendo:

  • Não golpear pontos incorretos.
  • Não desperdiçar golpes.
  • Golpear atacando e quebrando a postura do adversário.
  • Golpear com destemor, ‘sem pensar na morte’.

Aspecto filosófico

O kendo é uma das artes marciais modernas japonesas que mais mantém valores ligados às suas raízes. O texto abaixo, da All Japan Kendo Federation (Federação Japonesa de Kendo), fala dos objetivos de todos os kenshis.

Dojo Doma, Japão

O Objetivo do kendo é disciplinar o caráter humano pela aplicação dos princípios da katana.

Seu propósito é:

  • Moldar a mente e o corpo,
  • Para cultivar um espírito vigoroso,
  • E pelo treinamento rígido e correto,
  • Lutar para desenvolver-se na arte do kendo,
  • Obter respeito à cortesia e à honra,
  • Para relacionar-se com os outros com sinceridade,
  • E para sempre ter como objetivo o auto-aperfeiçoamento.
  • Dessa maneira será possível uma pessoa amar seu país e sociedade, contribuir para o desenvolvimento da cultura e promover a paz e prosperidade entre todos os povos.

DIFERENÇAS ENTRE KENDO E KENJUTSU

Kenjutsu, pode ser traduzido literalmente como a “Arte da Espada”, enquanto Kendo é traduzido como “Caminho da Espada”; este segundo termo somente passou a ser utilizado após a restauração Meiji, em que passou a ser questionada a necessidade de se manter as escolas (Ryu) de Kenjutsu, em tempos de paz, uma vez que, o kenjutsu era destinado a guerra.

Assim, muitas escolas, buscando adaptar-se aos novos tempos, passaram a denominar suas técnicas como Kendo. Até que, com a instauração da Kobukan, os mestres dos enumeros estilos registrados naquela entidade, até que as técnicas foram unificadas e as regras de competição criadas.

Atualmente as regras e técnicas do Kendo, como sendo uma modalidade esportiva do Kenjutsu, se tornaram unas de tal forma que não se pode mais dizer-se sobre diferentes estilos do Kendo, pois ele se tornou um único esporte.

O Kenjutsu, portanto, continua a ser utilizado para distinguir as escolas tradicionais de estudo da arte da espada japonesa.

A arte que se originou com a classe samurai no Japão feudal, significa “o método, ou técnica, de espada.” Isto é o oposto do kendo, que significa “o caminho da espada”.

Nesta arte marcial tipicamente japonesa, seu praticante realiza um estudo completo das formas de combate com a espada, bem como ética, disciplina e espírito de combate, tornando-se um Caminho (Dô) para toda a vida.

No Japão, desde os seus primórdios, dentre vários armamentos, a espada vem sendo reverenciada. Isso se deve ao fato de haver muitas histórias relacionadas à espada, nos mitos e lendas japonesas. Além disso, as espadas eram ofertadas como tesouro divino aos templos ou recebidas como símbolo da nomeação de um generalíssimo.

Durante e idade feudal japonesa surgiram diversos estilos de Kenjutsu, chamados Ryu, ou escolas da espada, onde se conservam até hoje as antigas técnicas de seus fundadores, treinadas por meio de kata, seqüência de movimentos pré-estabelecidos com um adversário imaginário e/ou com um outro praticante de forma controlada.

Veja mais sobre o Kenjutsu

Fonte: Confederação Brasileira de Kendo