Battousai

0

Kenshin

A verdadeira história dos Hitokiri

Hitokiri – Os Quatro assassinos da era Bakumatsu no Japão
Por Daniel Constantini

Muitos daqueles que gostam do tema “artes marciais” já viram ou pelo menos ouviram falar no anime/mangá chamado Rurouni Kenshin, aqui no Brasil conhecido pelo nome de Samurai X. Pois bem, a história do personagem foi baseada em uma história real, ocorrida no Japão.

Trata-se dos Quatro Hitokiri Do Bakumatsu (幕末四大人斬り Bakumatsu Shidai Hitokiri), nomenclatura dada aos quatro Samurais durante o período conhecido como Bakumatsu na história do Japão (final do regime Tokugawa: 1853-1868).

Genzai_kawakami-otaku-Landy

Os quatro homens eram Kawakami Gensai, Kirino Toshiaki (também conhecido como Nakamura Hanjirō), Tanaka Shinbei e Okada Izō. Eles se opuseram ao shogunato Tokugawa e posteriormente apoiaram o Imperador Meiji. Estes quatro Samurais eram guerreiros de Elite e amplamente considerados invencíveis por outras pessoas.

A palavra HITOKIRI significa “Assassino de Homens” (Retalhadores de Homens). A maioria deles veio do regime de Choshu-Satsuma, um regime completamente anti-Tokugawa.

Nas telas do Japão e posteriormente no Brasil, vimos uma animação chamada Rurouni Kenshin (Samurai X – em português). Rurouni Kenshin conta a história de um Hitokiri, chamado de Hitokiri Battousai que foi importante durante a era do Bakumatsu e que durante a era Meiji vira um andarilho e acaba cruzando no caminho de organizações contra o governo e de remanescentes Tokugawa.

Rurouni Kenshin, ou Samurai X, foi baseado em um dos famosos Hitokiri. Nobuhiro Watsuki, o criador da série se inspirou em Kawakami Gensai, o mais temido dos 4 Hitokiri Bottousai (retalhador sacador de espada) da era do Bakumatsu no Japão, nó século XIX.

Ele viveu entre 1834-1871. Por ser baixinho e magrelo, era confundido facilmente com uma garota, ainda que a sua natureza fosse oposta à sua aparência.

Tinha atitudes frias, calculistas e era considerado o mais perigoso dos quatro Hitokiri. Kawakami ficou famoso por matar, cortando Sakuma Syouzan ao meio, em plena luz do dia, usando o seu estilo de Battojutsu, chamado “Shiranui-ryu” (literalmente, “estilo Shiranui”, ou “estilo do fogo fátuo”) e que consistia, essencialmente em dobrar perpendicularmente a perna direita, esticando a esquerda até ficar paralela ao solo e, depois, sacar da espada. Ainda que se lhe atribuam outros assassinatos, estes aconteceram sempre com uma aura de mistério e nunca ficou esclarecido como e quando aconteceram.

Depois da Restauração Meiji, e com o fim da era dos samurais, as ideias xenófobas e isolacionistas de Kawakami colidiram com as defendidas pelo governo, pelo que foi julgado sob acusações falsas e executado no quarto ano da era Meiji, em 1871.

E nada mais se sabe sobre este, talvez, histórico personagem.

Embora não possamos afirmar com certeza que o referido personagem existiu, preferimos acreditar, pois, ainda que não fosse verdade, a história é boa.

Fonte: http://www.facebook.com/HistoricasImagens e
http://es.wikipedia.org/wiki/Cuatro_hitokiri_del_Bakumatsu
http://contosemitos.wordpress.com/2012/03/12/hitokiri-os-quatro-assassinos-da-era-bakumatsu-no-japao/

Compartilhe.

Sobre o Autor

André Miranda

Nascido no Rio de Janeiro, mas, devido a sua ascendência nordestina, criado na Bahia, começou Karatê em 1988, na extinta Lince Karatê Clube, com a Sensei Amanda Barcelar Pires (primeira faixa-preta mulher da Bahia, aluna de Denilson Caribé - ASKABA). Graduou-se faixa preta pela FNAM, com o Sensei Masco Monteiro. De volta ao Rio de Janeiro, continuou seu treinamento com o Sensei Humberto Amorim (6º Dan), no Quartel São João da Urca, com quem continua treinando. Praticante do estilo Shotokan Ryu, o qual é 3º Dan, em 2009 começou a praticar Jiu-Jitsu (sob a orientação do Sensei Gustavo Souza - 6º Dan) e Aikido (sob a orientação do Sensei Luciano Santana - 4º Dan). Amante da cultura Japonesa fundou o Instituto Ishindo, onde busca difundir a cultura e tradição marcial japonesa.

Comments are closed.