Entrevista com Royce Gracie

0

Royce Gracie critica competições de jiu-jítsu: “Estão ensinando a não bater”

Lenda das artes marciais é entrevistado especial do “Sensei” especial deste sábado

Fonte: Sensei Sportv

Sensei sportv

O “Sensei” deste final de semana é especial: uma entrevista exclusiva com Royce Gracie, a lenda das artes marciais e um dos principais representantes da família que é símbolo do jiu-jítsu. Em sua casa em Los Angeles, a lenda viva do tatame recebeu o apresentador Flávio Canto e deu uma opinião forte sobre os formatos atuais das competições. Segundo Royce, a essência da luta suave está se perdendo em meio ao excesso de regras.

– Tão ensinando os caras a não baterem. Se é o melhor, se é a melhor arte marcial? Esquece isso. Arte marcial em geral. Está acontecendo a mesma coisa com o jiu-jítsu. Marcar ponto? Na rua não tem ponto. O pessoal campeão mundial de jiu-jítsu, todo mundo ganha de ponto, de vantagem, como for, mas não sabe sair de uma gravata. Não sabe se defender se o cara mandar um soco na cara. Meu pai sempre foi contra competição – disse.

Royce é entrevistado especial do Sensei (Foto: Evelyn Rodrigues)

Royce é entrevistado especial do Sensei (Foto: Evelyn Rodrigues)

Royce relembra os primórdios do MMA, no início dos anos 90, quando deu início ao UFC ao lado do seu irmão Rorion. Naquela época, era comum lutar quatro vezes em uma noite. O brasileiro ficou conhecido por enfrentar rivais nitidamente maiores, como Dan Severn, Kazushi Sakuraba e o gigante Akibono.

Durante a entrevista, o filho de Hélio Gracie também analisa o papel de sua família no mundo atual, deixando a Zona do Sul do Rio de Janeiro para se espalhar entre diferentes países, como Estados Unidos, Inglaterra e Japão. Hoje, Royce se divide entre cinco meses de férias e o restante do ano dando seminários pelo planeta.

O “Sensei Combate” vai ao ar neste sábado, logo depois do SporTV News edição noite.

Veja a entrevista completa no site do Sensei Sportv:

Clique aqui.

Share.

About Author

André Miranda

Nascido no Rio de Janeiro, mas, devido a sua ascendência nordestina, criado na Bahia, começou Karatê em 1988, na extinta Lince Karatê Clube, com a Sensei Amanda Barcelar Pires (primeira faixa-preta mulher da Bahia, aluna de Denilson Caribé - ASKABA). Graduou-se faixa preta pela FNAM, com o Sensei Masco Monteiro. De volta ao Rio de Janeiro, continuou seu treinamento com o Sensei Humberto Amorim (6º Dan), no Quartel São João da Urca, com quem continua treinando. Praticante do estilo Shotokan Ryu, o qual é 3º Dan, em 2009 começou a praticar Jiu-Jitsu (sob a orientação do Sensei Gustavo Souza - 6º Dan) e Aikido (sob a orientação do Sensei Luciano Santana - 4º Dan). Amante da cultura Japonesa fundou o Instituto Ishindo, onde busca difundir a cultura e tradição marcial japonesa.

Comments are closed.