Equipamento de Treino de Kendô e Kenjutsu

0

Equipamento de treino de Kendô e Kenjutsu

O equipamento utilizado para a prática do kendo/kenjutsu consiste em um traje (kendo-gi), composto de uma calça larga chamada Hakamá, um casaco chamado keiko-gi e opcionalmente o obi (faixa), além da armadura de combate e armas. Vejamos, então, cada parte separadamente.

 Vestimenta:

Hakamá

É uma calça larga, pregueada muito utilizada como vestimenta tradicional japonesa, usada hoje em ocasiões formais.

Em alguns estilos marciais o hakamá compõe o traje de treino como kenjutsu/ iaijutsu, kendo/iaido, aikido e em cerimônias de karatê e nas artes de arco e flecha (Kyudo).

Originalmente o hakamá fui utilizado pelos samurais durante a vida civil, isto porque, além de facilitar a montaria e a movimentação rápida, ainda escondia as pernas e movimentação dos pés, o que refletia como uma vantagem no combate.

Nos dojos tradicionais ensina-se que as suas 7 pregas representam as sete virtudes do Bushido, que são:

Gi – Justiça

Yu – Bravura

Jin – Benevolência

Rei – Polidez

Makoto – Verdade

Meyo – Honra

Chu – Lealdade

Atualmente, com exceção do hakamá utilizado na prática de artes marciais, seu uso ficou restrito a ocasiões extremamente formais, como casamentos, e cerimônias religiosas, à prática do Chanyo (cerimônia do chá), formaturas com certificações e funerais e templos xintoístas.

Keiko-Gi

Consiste na veste superior do uniforme de treino, e está presente na indumentária de muitas artes marciais. Normalmente – em se tratando das vestes de treino – é feito em algodão liso ou trançado, mas também em lona, brim e outros tecidos. Suas cores podem variar entre o preto, azul marinho e branco. O corte obedecerá as regras de cada entidade desportiva.

Obi

Faixa que é amarrada na cintura para dar mais firmeza ao movimento, bem como onde fica presa a espada kataná, no caso do Iaijutsu. Nas artes da espada, o obi não representa graduação.

Em outras artes marciais (Karatê, Judô, Jiu-Jitsu, Aikido) representa a graduação do praticante, variando de cor conforme o nível de desenvolvimento do atleta; servindo ainda para prender as abas do keiko-gi (Do-Gi ou Kimono).

Armadura

O equipamento de proteção do kendo/kenjutsu, consiste em uma armadura, chamada de BOGU; sua origem é o Japão e data do século 18, quando passou-se a introduzir nos treinos a espada de bambu (shinai) e protetores de tórax e cabeça, além de grossas luvas.

Atualmente o equipamento de proteção BOGU é divido em 4 partes, que são:

Bogu

Men – Capacete confeccionado em tecido, couro e metal (aço, duralumínio ou titânio). Por dentro utiliza-se como parte composta ao men, o mentare (placa reforçada) e vesti-se o taoru (lenço da cabeça).

Do – Proteção do peito e abdome, feito em bambu ou resina plástica.

Kote – Proteção das mãos; trata-se de luvas grossas, confeccionadas em tecido reforçado por costuras e couro.

Tare – Protetor de cintura e virilha, confeccionado em tecido reforçado e couro.

É importante manter uma adequada conservação do seu material de treino, fazendo uma higienação com spray bactericida chamado lisoform, em todo o “bogu”, inclusive nas partes internar do “men” e do “tare”.

Obs.: É IMPORTANTE, PORÉM, ANTES DE FAZER A MANUTENÇÃO DO BOGU, BUSCAR ORIENTAÇÃO COM OS SEUS SEMPAIS (ALUNOS MAIS ANTIGOS), PARA APRENDER A MELHOR FORMA DE CONSERVAÇÃO DO MATERIAL DE TREINO.

 Armas

No kendo/kenjutsu são utilizadas três tipos de espadas, em diferentes materiais e diferente funções; são elas:

Shinai – Espada para treinos feita em bambu ou material sintético (fibra de carbono), utilizada na prática do kendo/kenjutsu. Existem diferentes tipos de shinai, variando de formato e tamanho, desde retas – que se aproximam das antigas espadas japonesas tachi (espadas retas), bem como curvas, que são pouco utilizadas. O formato da empunhadura também pode variar, pois o mais comum é a de cabo roliço, mas também sendo confeccionada com cabo oval, o que concede ao praticante uma maior segurança, enquanto proporciona a sensação mais próxima de um kataná.

Shinai

“O primeiro uso de uma arma de bambu para treinar com a arte da espada, é creditada a Kamiizumi Nobutsuna (1508-1572) da escola Shinkage-ryū. O shinai moderno, com quatro ripas de bambu, é geralmente creditado a Nakanishi Chuzo Tsugutate (morreu 1801) do estilo Nakanishi-ha Itto-ryu. O shinai foi desenvolvido em um esforço para reduzir o número de praticantes ser seriamente ferido durante a prática, tornando uma arma prática que era menos perigoso do que bokuto, as espadas de madeira dura que eram utilizadas anteriormente. Esta também é a motivação por trás do desenvolvimento do bogu, a armadura que protege o kendoka.”(fonte:wikipedia.com)

Bokuto – Também chamado de bokken (espada de madeira), foi criado inicialmente para os treinos da arte da espada, devido a seu caráter menos letal, isso mesmo, pois, mesmo que pareça não ser letal, nas mãos de um kendoka experiente pode se tornar uma arma letal.

Bokuto

Seu tamanho, forma e peso se assemelham ao da kataná (espada de aço), mas também sendo encontrado nas versões menores da Wakizashi (espada pequena) e tanto (faca ou adaga samurai).

O Bukuto foi projetado no sentido de diminuir os danos causados pela luta com espadas reais, e, pela eficiência nos treinos foi logo introduzido nos dojos de samurais, no Japão feudal. Hoje sua utilização é mais freqüente na execução de katas ou para exercícios como tsuburi.

Kataná – Espada de Aço, utilizada para treinos de iaijutsu e também para os treinos de corte (tameshigiri).

Katana

Share.

About Author

André Miranda

Nascido no Rio de Janeiro, mas, devido a sua ascendência nordestina, criado na Bahia, começou Karatê em 1988, na extinta Lince Karatê Clube, com a Sensei Amanda Barcelar Pires (primeira faixa-preta mulher da Bahia, aluna de Denilson Caribé - ASKABA). Graduou-se faixa preta pela FNAM, com o Sensei Masco Monteiro. De volta ao Rio de Janeiro, continuou seu treinamento com o Sensei Humberto Amorim (6º Dan), no Quartel São João da Urca, com quem continua treinando. Praticante do estilo Shotokan Ryu, o qual é 3º Dan, em 2009 começou a praticar Jiu-Jitsu (sob a orientação do Sensei Gustavo Souza - 6º Dan) e Aikido (sob a orientação do Sensei Luciano Santana - 4º Dan). Amante da cultura Japonesa fundou o Instituto Ishindo, onde busca difundir a cultura e tradição marcial japonesa.

Comments are closed.