Gorin No Sho

Gorin No Sho

Gorin No Sho, O Livro dos cinco Anéis

O Livro dos cinco anéis é um tratado militar escrito em 1643 por Miyamoto Shimen Musashi, o lendário samurai, espadachim invencível em mais de 60 duelos; seu texto é considerado um dos maiores escritos sobre a estratégia, derivado da rica cultura marcial japonesa.

Em suas páginas estão registrados os pensamentos de Musashi sobre a a arte de manejar as espada – o estilo de kenjutsu que denominou de duas espadas (Hyoho Niten Ichi Ryu) -, os caminhos para a vitória, bem como os meios para se alcançar a paz espiritual, através dos kata’s (formas pré-definidas de combate).

Miyamoto Musashi nunca desejou escrever o livro, somente fazendo em razão do pedido que o senhor Hosokawa Tadatoshi, Daymio em Kumamoto, lhe fez; Assim, em 1643, Musashi foi viver como ermitão numa caverna conhecida como Reigendo, localizada em Kumamoto. Dedicou-se a escrever o Gorin No Sho (conhecido como ‘O livro dos cinco anéis’), e dedicando-o a seu discípulo, Teruo Nobuyuki, algumas semanas antes de morrer.

Quando registou os seus pensamentos, o lendário guerreiro procurou deixar um guia para os seus discípulos e para as futuras gerações de samurais. Não fazia ideia de que traçava uma obra-prima que viria a ser lida avidamente pelos mais diversos leitores modernos séculos após a sua morte.

“O Livro dos Cinco Anéis é o mais importante tratado estratégico dos samurais. Seu autor, Miyamoto Musashi (1585-1645), é considerado o samurai mais famoso de todos os tempos, viveu em uma época de transição das grandes batalhas campais para a fase de estabilidade política e da consolidação do Xogunato Tokugawa em 1603.”(INSTITUTO NITEN)

A tradução mais próxima do original foi revisada pelo Sensei Jorge Kishikawa e trazida pela tradutora Dirce Miyamura e recebeu a aprovação do Shihan Gosho Motoharu, mestre representante da nona geração do estilo “Duas Espadas”, que pratica há mais de cinco décadas, dedicando toda a sua vida à compreeder os ensinamentos de Miyamoto Musashi.

Seus ensinamentos atualmente ultrapassaram os Dojos de artes marciais e chegaram aos ambientes acadêmicos e corporativos das grandes empresas em todo o mundo, sendo leitura obrigatória entre executivos e grandes lideres, que desejam vencer as batalhas do dia-a-dia e desenvolver sua corporações empresariais.

“Em conjunto com A Arte da Guerra, de Sun Tzu, O Código de Honra do Samurai, de Taïra Shigésuké, e O Príncipe, de Maquiavel, O Livro dos Cinco Anéis há muito que é considerado um verdadeiro tratado acerca da estratégia da vitória.” (ANÁLISE FNAC).

Um livro fundamental sobre estratégia e disciplina cujo significado transcende as artes marciais.

OS CINCO CAPÍTULOS
Ao escrever o livro o concebeu em cinco partes principais, que lhe dão o nome Gorin (Cinco partes), assim descritas pelo próprio autor.

“Dividi este registro em cinco partes para expor conceitos distintos do Caminho, os quais denominei: Terra, Água, Fogo, Vento e Vazio.”

O Livro da Terra
Assim chamado em razão de que a Terra é o elemento em que se constrói o caminho, ou melhor dizendo, a trilha a ser seguida. Neste capítulo Musashi explica como o homem deve seguir o Caminho (Dô), e compara o Caminho do Guerreiro, com o Caminho do Carpinteiro.

O Livro da Água
Neste capítulo trata do espírito que deve permear o guerreiro, as formas que deve se utilizar, e quando deve utilizar-se; enfatiza a necessidade de ser como a água, maleável e adaptável a situação.

O Livro do Fogo
O fogo é feroz, destrutivo, forte. Assim é o capítulo que trata do combate real. Nesta parte seu autor explica as formas de se chegar à vitória em um combate real. Enfatiza a necessidade de se utilizar da estratégia em uma luta de vida ou morte.

O Livro do Vento
A esta altura, conhecendo os Caminhos (Dô) as formas (Kata) e a estratégia (senryaku), Musashi fala agora sobre a necessidade de se conhecer outros estilos, escolas e Caminhos, para desvendar a estratégia militar de possíveis oponentes. Guarda certa semelhança com o ensinamento de Sun Tzu.

O Livro do Vazio
Em seu último capítulo, Musashi Sensei define que conhecer o Caminho é conhecer o vazio. Assim definindo o vazio pelo domínio dos vários aspectos da vida de um samurai. Somente, então, conhecendo o sentido correto do Caminho, poderá alcançar a iluminação que é repleta pelo vazio.

Redação: Instituto Ishindo.

Fontes de Pesquisa:
– O Livro dos Cinco Anéis (MIYAMOTO MUSASHI)
– O Samurai (WILLIAN SCOTT WILSON)
– Instituto Niten

Gorin No Sho – Audio Book em Inglês