Arte Floral

Ikebana é a arte japonesa de arranjos florais, também conhecida como kado — Caminho das Flores. Sua origem é atribuída à Índia, onde os arranjos florais eram destinados à Buda. Assim como no ocidente, homenageamos nossos ancestrais falecidos com flores, na Índia também tinham este costume, e mais cerimonioso ainda era o costume de oferecer flores a Buda, assim como fazemos no ocidente com santos e a própria representação divina.

Ikebana

Entretanto, chegando junto com o budismo, este costume se personalizou na cultura japonesa, ganhando status de arte, em que a harmonia e simplicidade das formas é priorizado. Assim, a arte dos arranjos florais japoneses se diferencia da forma decorativa de arranjos florais ocidentais em que se dá ênfase à quantidade e no colorido das cores, dedicando a maior parte da sua atenção à beleza das corolas, enquanto os japoneses enfatizam os aspectos lineares do arranjo, suas cores e formas.

Os japoneses – na construção de um arranjo – se preocupam com todos os detalhes como: vaso, caules, folhas e ramos, além das flores. Assim, estrutura de um arranjo floral japonês está baseada em três pontos principais que simbolizam o céu, a terra e a humanidade; mas outras estruturas podem ser adaptadas em função do estilo e da escola de Ikebana. Existem muitos estilos de Ikebana, das mais simples, às mais complexas, mas todas são formas de desejar ou obter boas energias, harmonizando o homem com a natureza.

Sogetsu School

Nesse sentido, podemos citar a Academia de Ikebana Sanguetsu, que busca representar uma forma de se chegar ao equilíbrio, à simplicidade e à beleza. O sanguetsu tem, como princípio básico, o sentimento de respeito à natureza. Seu mentor, Mokiti Okada, criava composições capazes de refletir a beleza natural das flores em sua forma mais pura, levando alegria e paz às pessoas que apreciam os arranjos. Embora sua presença não seja mais possível neste mundo, seu espírito continua presente nos arranjos feitos na escola que criou.

Este tipo de arte é muito apreciado no Japão, e praticado por pessoas de todas as idades e sexo, tendo se adaptado muito bem ao gênio peculiar do povo japonês. Aos poucos, muito da conotação religiosa foi desaparecendo, dando ênfase ao ensino do naturalismo.


Esse simbolismo está muito associado com a literatura, tradição e costume. Um fato interessante é que cada feriado nacional possui um arranjo floral que o represente, assim como várias celebrações familiares. No entanto, independente da ocasião, escola ou estilo, o ikebana quer transmitir a ideia de crescimento contínuo na vida, da harmonia da formas e a beleza da vida.