Cerâmica

Cerâmica

A história da cerâmica japonesa é longa e singular, iniciando-se no período Jomon e evoluindo até os dias atuais.

Assim como outras expressões artísticas, a arte da cerâmica japonesa sofreu grande influência vinda de artistas chineses e também coreanos.

Uma das versões para explicar este intercâmbio cultural relata que, por volta do século XVI o Japão, através de comerciantes navegadores importava diversos produtos, entre eles peças e artefatos em cerâmica de países próximos como Coréia e China.

Nesta época, a Coréia vivia sob forte influência da China e, por conta disso, os coreanos desenvolveram uma forte tradição na arte da cerâmica, tendo como um dos expoentes um ceramista chamado Yi-Sam-Pyeong. Ocorre que durante a invasão da Coréia pelo Japão, as tropas japonesas prenderam Yi-Sam-Pyeong, e o levaram para o Japão. Mas o que pareceu ser o final da carreira do jovem artista, se mostrou um novo começo e Yi-San Pyeong se tornou o responsável por ensinar aos ceramistas de Arita, Distrito de Nishimatsura, no Japão uma forma mais sofisticada de arte em cerâmica.

Com o tempo essas mesmas técnicas foram mais aprimoradas e adaptadas aos costumes japoneses. Seus diversos estilos deram origem a toda uma cultura de artefatos, desde vasos ornamentais, passando pelos vasos de ikebana e bonsai, até recipientes para chá e pratos para comidas típicas.

A contribuição destes artistas anônimos chineses, passou a integrar obras de renomados artistas japoneses, que expressaram sua reverência pela perfeição em sofisticados trabalhos manuais de profunda beleza e personalidade individual do seu criador.

As peças criadas por estes artistas a partir de elementos como a argila, água e compostos orgânicos deixaram de ser apenas funcionais para adquirirem status de grande arte nas mãos de mestres e artesãos.

A porcelana

A porcelana é uma variedade da cerâmica, geralmente fruto da mistura de quatro ingredientes: argila, rochas do tipo Feldspato e Quartzo puro e minerais chamados de Caulim (um minério branco que aquecido a cerca de 1800 graus, transforma-se em porcelana).

A filosofia Wabi-Sabi

Wabi-Sabi para os japoneses representa uma visão de mundo baseada em um conceito estético, onde a imperfeição e a harmonia encontradas na natureza têm mais beleza do que a tentativa de deixar tudo extremamente perfeito. Assim, se um vaso de cerâmica apresenta uma pequena ranhura, ele pode ser belo e adaptado para uma fonte, se um prato apresentar assimetria depois da queima do barro, ele também pode ser belo porque sua natureza é essa. Se há musgo em volta de um vaso, ele o torna naturalmente harmônico, já que traduz o trabalho do homem aliado ao da natureza.

Conheça os trabalhos do artista Johnson Tsang: Clique aqui