Japão Moderno

modern Japan
O Japão moderno emergiu de um país estritamente rural para uma potência comercial, em seu primeiro momento de ressurgimento, com o final do shogunato e inicio da era Meiji, depois, saiu de uma potência imperialista, durante a segunda guerra mundial, para chegar no pós-guerra a 2ª maior potência econômica.

Talvez em nenhum outro lugar do mundo, o alto desenvolvimento tecnológico e mudanças sociais tenham sido tão visíveis quanto no Japão.

Historicamente, o Japão tem uma tradição de reconstrução e absorção de culturas exteriores e com a incorporação de conceitos externos em harmonia com os conceitos intrínsecos da sua própria cultura. Assim, o Japão passou de uma potência imperial que disputava o controle do pacífico com o Estados Unidos, durante a segunda guerra mundial, para um país devastado pela catástrofe nuclear no pós-guerra, para ressurgir como potência econômica em menos de 30 anos.

Prédios modernos

Esse crescimento se deve, principalmente ao Primeiro-ministro Hayato Ikeda, que nos anos 60, quando ocupava o cargo, implantou um histórico programa econômico, que duplicou e distribuiu, em dez anos, a renda per capita do país. Além de criar a uma nação forte com maior e mais rica classe média do mundo, aumentou suas taxas de alfabetização e escolaridade, formando um povo culto e interessado por informação.

Contudo, o grande desenvolvimento visto no arquipélago, com o visível crescimento econômico trouxe algumas consequências. Muitos consideram que o modernismo vem levando cada vez mais os jovens a desprezarem a cultura tradicional e levando o país a uma descaracterização de suas origens, mas também há aqueles que se jubilam pelas novas tendências e uma nova cultura vem nascendo deste novos movimentos.
kyoto-e-uma-cidade-tradicional-que-abriga-distritos-modernos-como-gion-reduto-do-entretenimento-na-cidade-1278099358258_615x300
Esta evolução cultural híbrida que mistura influências norte-americanas, brasileiras e europeias, resultado de uma onda de imigração, somada a já tradicional influência cultural da China e, principalmente resultando dos anos de auto-isolamento imposto pelo período do xogunato Tokugawa resultou em uma cultura nitidamente diferente do resto da Ásia, embora fortemente ocidentalizada, difere de qualquer país ocidental o Japão se tornou um lugar onde a tradição e a modernidade são indissociáveis.

Apesar das mudanças culturais, resultantes das influências chinesas e koreanas, o Japão gerou um estilo único de arte (ikebana, origami, ukiyo-e, bonsai), de técnicas artesanais (bonecas, objetos laqueados, cerâmica), bem como na arte do espetáculo (dança, kabuki, noh, raku-go, yosakoi, bunraku), e música (sankyoku, joruri e taiko), sem falar na tradição (onsen, sento, chadô) e culinária única.

moda-japonesa

Além de ter, por influência europeia, norte-americana e até brasileira criado uma cultura pop muito inspirada na cultura ocidental, mas distintamente diferente e própria, como os animes (desenhos animados), os mangás (histórias em quadrinho), o yosakoi (dança), além de filmes, literatura e música (J-pop), que levou a ganhar seguidores em todos o mundo e gozar hoje de grande popularidade entre os jovens de diferentes países, se tornando uma superpotência cultura.

Diferente do que ocorre no Brasil que seguimos tendências de outros países e importamos seus estilos e ídolos, o Japão tem uma tendência histórica de assimilar as culturas externas e reinventá-las, criando a partir desta junção uma cultura própria. Isso ocorreu no passado com a cultura tradicional, por exemplo com a escrita, em que os caracteres nacionais (hiragana e katakana) se misturaram com os ideogramas importados da China (kanji). O mesmo ocorreu na religião, em que ritos e práticas do xintoísmo – religião local – se amalgamou aos ritos do budismo, de origem indiana, mas que chegaram ao arquipélago, vindos da China e Coréia.


Então, quando o Japão passou pro um processo de modernização, a cultura pop dos países que os ajudaram foram introduzidas nas ilhas e logo incorporadas pelos jovens, que, ao invés de apenas importar seus ídolos estrangeiros, os japoneses criaram seus próprios ídolos locais. A fórmula, embora americana, tinha matizes próprios, e o seu produto final era culturalmente japonês.

Esse fenômeno da cultura pop japonesa está ligado à industrialização e à sociedade de consumo, que essencialmente o torna um fenômeno também comercial, e que é resultado de sua economia pujante e de uma indissociável identificação cultural do povo japonês com suas raízes históricas, fazendo com que o tradicional conviva harmoniosamente com o moderno e criando uma atmosfera única de contornos estritamente nipônicos, o que torna esse país diferente de todos os outros e, por isso fascinante e enigmático.