Linha do Tempo

A história do Japão divide-se em períodos importantes relativamente à produção artística, assim como a relevantes acontecimentos políticos. A classificação geralmente varia dependendo dos critérios do autor, contudo muitos dos períodos podem ser subdivididos. Preferimos utilizar a divisão por Eras para demarcar a linha do tempo no Japão.

Eras do Japão

A contagem do tempo no Japão, se dava por Eras (em japonês: 元号; gengō ou 年号; nengō). Nesse sistema, o ano é identificado por uma combinação do nome dado à Era com o seu respectivo ano (por exemplo 215 é o 27º ano da Era Heisei). O sistema de classificação por eras (ou períodos), atualmente fundamenta-se na ascensão de um novo imperador, ou seja, pelo ano correspondente ao seu mandato (por exemplo Períodos Meiji, Taisho, Showa e Heisei), entretanto, muitas Eras do Japão são marcadas por algum fato histórico (Jomon, Yayoi, Kofunou, Azuchi-Momoyama) também pelo nome onde ficava o centro do poder no Japão (Nara, Heian, Kamakura, Edo).

Após a modernização do Japão, utiliza-se para contagem do tempo, tanto o sistema Nengō, quanto o sistema Gregoriano, porém, em se tratando de documentos oficiais do governo, costuma-se utilizar o sistema Nengō. A era mais longa até o momento foi a era Showa, com 64 anos.

Em geral a mudança entre eras é ditada pela ascensão de um novo imperador como ocorreu no início da era Heisei, porém já houve mudanças de era ditadas por eventos históricos ou desastres. Desde 1867 na ascensão do imperador Mutsuhito foi adotado o sistema que muda a era apenas a cada mudança de reinado, sendo iniciada uma nova era em 1868 denominada era Meiji. A contagem das eras foi iniciada pelo imperador Kotoku, sendo a primeira era de nome Taika. A tradição não foi mantida mas foi retomada pelo imperador Mommu e desde então tem sido contada até os dias atuais.

Abaixo segue uma lista de todas as Eras (períodos) na história do Japão:

Linha do Tempo


Pré-História

Paleolítico Japonês (30.000 a.C até 13.000 a.C)
Vestígios de vida encontrados no arquipélago indicam a presença de homens há 30 mil anos. Na época, o território fazia parte do bloco continental asiático, como provam os fósseis de mamutes descobertos ao Norte do Japão. O povo japonês existe desde a idade da pedra lascada, ou Período Paleolítico.


Antiguidade

Período Jomon (13.000 a.C até 300 a.C)
Um dos mais longos períodos, que durou milhares de anos. Foi quando o arquipélago se formou, com o derretimento do gelo. O homem vivia da caça de animais e da coleta de plantas selvagens, mas começava a produzir recipientes de barro (cerâmica jomon), bem como a usar arco e flecha.


Período Yayoi (300 a.C até 300 d.C)

Durou cerca de 600 anos, período em que ocorreram mudanças importantes no arquipélago japonês. Os coreanos levam para o Japão as técnicas do plantio do arroz e os trabalhos com o metal (bronze e ferro). Também começam a se acentuar algumas manifestações de poder e as diferença entre classes sociais. Os chineses introduzem a soja, o feijão azuki e trigo.


Período Kofun (300 d.C até 538 d.C)

O Japão continua a receber forte influência das culturas coreana e chinesa, que levaram as ferramentas agrícolas, as armas, a arte da cerâmica e a escrita (esta, vinda da China). Também foi introduzido o budismo. Durante este período surge a dinastia Yamato, por volta de 250 d.C. Jimmu Tenno se torna o primeiro imperador do Japão e passa a integrar as pequenas vilas num único Estado.


Período Asuka (538 até 710)

Shotoku cria a primeira Constituição do país (604 d.C), com 17 artigos. Em 645 d.C acontece a reforma Taika, que institui os impostos pagos pelos camponeses. O período dura cerca de 100 anos e é marcado por avanços na arquitetura e nas áreas filosóficas. Termina quando o governo da imperatriz Genmei muda a capital, que passa a ser Heijou-kyou, uma província de Nara.


Antiguidade Tardia

Período Nara (710 até 794)

Tem início quando a imperatriz Genmei transfere a capital imperial para Nara, cuja construção baseava-se na capital chinesa Tang. Surgem vários templos budistas por todo o país. Nessa época a escrita chinesa (kanji) é adaptada para o japonês. O regime Uji-kabane (grandes proprietários) entra em decadência e surge o regime Ritsuriô (administrativo). O período termina com uma nova mudança da capital, desta vez para Heian-kyou.


Período Heian (794 até 1185)

Com a ascensão do Imperador Kammu, a capital se estabelece em uma nova cidade (Heian), que significa “capital da paz e da tranqüilidade”, atual província de Kyoto. Nessa época, surgem os saburais (que teriam dado origem aos samurais). Por volta de 838 d.C. o Japão corta as relações com a China.

No início do século X, sob o comando do clã Fujiwara, o país avança muito na área cultural. Surge o sistema de escrita com 46 símbolos básicos conhecido como kana. Ocorrem várias batalhas pelo poder, quando aparecem de fato os samurais. A família Taira vence a de Minamoto Yoritomo, e Taira Kiyomori torna-se o primeiro samurai a ocupar o poder.


Período Kamakura (1185 até 1333) – Primeiro Shogunato

Depois de 20 anos, Taira Kiyomori é derrotado por Minamoto Yoritomo, que passa a ser denominado de Sei Tai Shogum pelo imperador, iniciando assim uma nova era no Japão. É criado o regime militar conhecido como Shogunato (ou bakufu).

A capital imperial muda-se para Kamamura, uma vila de pescadores bem protegida. O governo tem como base o código de honra dos samurais. Yoritomo morre e é sucedido pela família Hojo, que melhora as relações com a China. O mongol Kublai Kan, neto de Genghis Kan, resolve conquistar o Japão, desembarca no território em 1274, mas é derrotado pelos samurais

O período acaba quando o Shogunato de Kamamura é derrotado pelo imperador Godaigo, em 1333.


Restauração Kemmu (1333 até 1336 d.C.)

Este foi um curto período da história do Japão, o qual houve uma tentativa, que até certo ponto, foi bem sucedida de se restabelecer o poder imperial, mas fracassou em razão de que, após o seu restabelecimento, o Imperador não favoreceu o seu benfeitor, Ashikaga Takauji, que se voltou contra seu governo e o baniu da capital, colocando outro imperador em seu lugar.

Momento este em que o Imperador Godaigo foge com sua corte para o norte, estabelecendo o Governo do Norte, ou como ficou conhecido Jimyouin, enquanto Takauji estabeleceu o Governo do Sul, com outro descendente da dinastia do Imperador, sendo conhecido como Daikakuji.


Feudal

Período Muromachi (1336 até 1573,) – Segundo Shogunato

É estabelecido o Shogunato Muromachi, por Ashikaga Takauji, em Kyoto. É marcado por grande evolução econômica e cultural – na arquitetura, pintura, poesia, música, cerimônia do chá, ikebana (arte do arranjo de flores) e o teatro (Nô e Kyogen). Acontece o contato com o Ocidente, quando uma embarcação portuguesa chega ao arquipélago trazendo as primeiras armas de fogo (mosquetes), e o cristianismo é introduzido no país pelo jesuíta Francisco Xavier.

Principais Acontecimentos:

Governos das duas cortes
– Daikakuji (Corte do Sul)
– Jimyoin (Corte do Norte)

Nanbokucho Jidai (1336 até 1392) –
Sengoku Jidai (1467 até 1573) –


Perído Azuchi Momoyama (1573 até 1603)

O Shogunato Muromachi entra em declínio, e o general Oda Nobunaga assume o poder em meio a violentas batalhas. Nobunaga conquista a província de Owari e, anos depois, a capital graças ao armamento fornecido pelos portugueses. Acaba assassinado antes de unificar todo o país. Quem assume é Toyotomi Hideyoshi, que confisca as armas e destrói os castelos, e consegue unificar o Japão em um único governo.


Período Edo (1603 até 1868) – Terceiro Shogunato

Com a morte de Hideyoshi, Tokugawa Ieyasu assume o poder. Conquista o controle total do país ao vencer a batalha de Sekigahara, que travou com grupos rivais. Torna-se o novo Sei Tai Shogum, a mando do Imperador, estabelecendo-se na cidade de Edo (atual Tokyo).

A sociedade passa a ser dividida em quatro classes: samurais, camponeses, artesãos e comerciantes. Em 1633, são proibidas a entrada de navios portugueses, a saída de japoneses e a prática do cristianismo. O Japão praticamente fecha-se para o exterior. No final do século XVIII, estouram diversas rebeliões, exigindo uma reforma política. São, então, firmados diversos acordos com países ocidentais.


Contemporânea

Período Meiji (1868 até 1912)

Inicia-se com a ascensão do Imperador Meiji, que muda a capital para Tóquio e implementa uma ampla restauração no país. Voltam a liberdade religiosa e a igualdade social. O Japão passa por uma grande industrialização e abre suas portas para grandes estudiosos ocidentais, que ajudam no progresso do país. Os feudos são extintos, e surgem as prefeituras.

Ocorre uma verdadeira invasão ocidental. Em 1880, devido aos investimentos na industrialização, o Japão mergulha numa crise que leva à criação do Banco do Japão. Há grandes avanços políticos, como a criação da primeira Constituição. Nesse período, o país trava duas batalhas – uma contra a China, em 1895, e outra contra a Rússia, em 1905. Em 1910, os japoneses ocupam a Coréia. O imperador Meiji morre em 1912, pondo fim ao período.


Período Taishō (1912 até 1926)

Tem início quando Taisho, filho do Imperador Meiji, assume o poder. O Japão entra na Primeira Guerra Mundial, mas sua participação fica restrita à Ásia. Após o conflito, o país enfrenta uma situação econômica difícil, que se agrava com o terremoto em 1923, que arrasou Tokyo. As mulheres começam a participar mais da vida social do país, e é estabelecida a democracia.


Período Showa (1926 até 1989)

Inicia-se com a subida ao trono do imperador Hirohito, filho de Taisho. Os militares passam a defender a idéia de que só a conquista de novos territórios poderia tirar o país da crise. Entra na Segunda Guerra Mundial no dia 7 de dezembro de 1941 ao atacar a base americana de Pearl Harbor, no Havaí.

Em 1945, ainda em meio ao conflito, os Estados Unidos lançam as bombas atômicas sobre as províncias de Hiroshima e Nagasaki, que levam à rendição do Japão. O país é ocupado pelos americanos e, em 1947, é criada uma nova Constituição. O Japão passa a ser uma monarquia constitucional, governado por um Parlamento. Nesse período o país se torna uma das principais potências econômicas do mundo. Em 1989 o imperador Hirohito falece, marcando o fim desse período.


Período Heisei (1989 até o presente)

Iniciado pelo imperador Akihito, filho do imperador Hirohito. É o período recente, e está sendo marcado por uma estagnação econômica, o envelhecimento da população, devido aos baixos índices de natalidade e mortalidade. Embora não se possa dizer que o Japão viva uma crise.