Calendário de Festivais

As Cinco Estações do Japão

O ano no Japão, assim como o Calendário de Festivais, gira em torno de cinco estações, é isso mesmo, falei 5 estações; isso porque, além das 4 tradicionais, ainda tem um período que chama estação das chuvas.

Embora pareça estranho para nós no Brasil, devemos lembrar que as estações são marcadas pelas diferenças de época e clima, ou seja: primavera – floração, verão – calor, outono – época dos frutos e inverno – frio.

Contudo, talvez em razão das mudanças climáticas, as distinções tão marcantes de cada estação estão cada vez menos presentes, mas ainda sim, muitos dos festivais tradicionais do Japão são marcados por conta das estações do ano, são os matsuri, ou festivais da agricultura.

O país do Sol Nascente segue o calendário gregoriano – até em razão da globalização – e, em pequena proporção o calendário lunar chinês.

É interessante notar que o Japão existe uma infinidade de festivais e feriados, quase o dobro que no Brasil e nos demais países do mundo, isso porque existem duas religiões principais no Japão, o Xintoísmo e o Budismo. Desta maneira o ano passa repleto de cerimônias oficiais, ritos sagrados, comemorações históricas e celebrações animadas.
Vamos, então, conhecer algumas delas:

PRIMAVERA

A primavera no Japão é marcada pelo festival das cerejeiras que ocorre em meados de Abril, porém a estação tem seu início em Março, com o aquecimento e consequente degelo dos rios e regiões do país.

MARÇO

  • Omizu-tori (Festival da Extração da Água – 1 a 14 de março): No templo Todai-ji, em Nara, é realizado todos os anos o ritual de retirada da água, que é acompanhado de música antiga sagrada, no qual se retira água do poço e se purifica no fogo. O ritual é realizado as 2 da manhã no 13º dia.
  • Hina Matsuri (Festival da Boneca – 3 de março): Consiste em uma tradição popular da qual, em todo o país, as casas que tenham meninas, são expostas bonecas em trajes imperiais do período Heian.
  • Festival do Santuário Kasuga, realizado em 13 de março, em Nara, onde jovens executam danças antigas de 1.100 anos.

ABRIL

  • Hana Matsuri (Aniversário de Buda – 8 de abril). Realizado em todo o país em Templos e em locais públicos, bem como particularmente nas casas, é uma data de grande júbilo entre os japoneses, que em sinal de devoção e agradecimento, vertem chá doce sobre a imagem do Buda.
  • Hana Matsuri Takayama Matsuri (Festival no santuário de Hie, de Takayama – 14 e 15 de abril), realizado na província de Gifu, diretamente no santuário de Hie, onde uma procissão de carros alegóricos desfila pela cidade, acompanhada de pessoas vestidas com trajes do período Edo. Segundo a tradição, o desfile serve para aplacar o Kami (deus) da Peste.
  • Yayoi Matsuri (Festival do Santuário Futarasan – 16 e 17 de abril), realizado na província de Tochigi, o festival também consiste em um desfile de carros alegóricos.

MAIO

  • Hakata Dontaku Matsuri (3 e 4 de maio), realizado na província de Fukuoka, o festival consiste em uma procissão, na qual cidadãos vestidos a caráter levam imagens e Deuses a cavalo.
  • Hamamatsu Matsuri (Festival das Pandorgas – 3 a 5 de maio), realizado em Hamamatsu, província de Shizuoka.
  • Kanda Matsuri (sábado e domingo antes do dia 15 de maio), realizado em Tóquio. Santuários portáteis são exibidos em um desfile pelos bairros próximos aos santuários de Shimogamo e Kamigamo, reproduzindo antigas procissões imperiais.
  • Pesca dos Cormorões (11 de maio a 15 de outubro), realizada no rio Nagara, em Gifu. Costuma ser feito no inicio das estações, no período da noite, com lanternas e passaros treinados.
  • Grande Festival Tosho-gu (17 a 18 de maio), realizado em Nikko, província de Tochigi, no qual 1000 homens vestindo armaduras samurais acompanham três santuários portáteis (mikoshi) pelas ruas.
  • Sanja Matsuri (3º sexta-feira e domingo de maio), realizada em Tóquio e consiste em um desfile de mikoshi (santuários portáteis), exibidos pelo povo, pelas ruas da cidade próximas ao santuário de Asakusa Jinja, acompanhados de música. Costuma ser bem animado.
  • Mifune Matsuri (3º domingo de maio), realizado em Kyoto e consiste em um festival de barcos que são enfeitados e saem em desfile pelo rio Oi.

ESTAÇÃO CHUVOSA

Não se trata propriamente de uma estação, mas assim é considerada em razão das peculiaridades deste período.

Passada a primavera os céus do Japão são cobertos de pesadas nuvens e chuvas torrenciais caem sobre as ilhas do arquipélago, muitas vezes provocando enchentes e aumentando a umidade do ar. Hokkaido, contudo, não sofre tais alterações climáticas, talvez em razão da sua localização mais ao norte.

Em todo o país florescem hortênsias e outras flores apreciadas pelo povo japonês, por meio das névoas que cobrem as montanhas e vales do Japão em meados de junho e julho. É o momento para cultivar os arrozais e preparar-se para as altas temperaturas dos meses que virão

JUNHO

  • Sanno Matsuri (16 de junho), realizado em Tóquio, consiste em um ritual de carregar santuários portáteis em volta do santuário de Hie na região de Akasaka.
  • Festival do Plantio do Arroz (14 de junho), realizado no sul de Osaka. Moças usando roupas típicas plantam arroz em atos cerimoniais nos campos do santuário Sumiyoshi, rezando por uma boa colheita.
  • Chagu-chagu Umakko (Festival do cavalo – 15 de junho), realizado na província de Morioka, Iwate, consiste em um desfile a cavalo até o santuário de Hachiman. Todos os cavalos são ricamente enfeitados.

VERÃO

Teoricamente o verão começaria em junho, mas diante da peculiaridade da quinta estação, tecnicamente começa em julho, logo que termina o período de chuvas. O calor e a humidade aumentam, a comida fica mais leve e as montanhas e praias são invadidas por veranistas. As crianças estão de férias e se inicia uma série de festivais. As cerejeiras outrora floridas agora estão verdes, assim como as ameixeiras.

É hora de se refrescar nos parques, praias e montanhas.

JULHO

  • Yamagasa Matsuri (1º a 15 de julho), realizado em Fukuoka, compreende uma corrida de 5 km com carros alegóricos enormes.
  • Tanabata Matsuri (Festival da Estrela – 7 de julho), é celebrado em todo o país, com intuito de lembrar a lenda chinesa que conta a história de duas estrelas, Veja (tecelão) e Altair (pastor), que se juntaram como amantes na Via Láctea. Os japoneses costumam escrever poemas de amor e pendurá-los em longas varas de bambu, decoradas com serpentinas.
  • Nachi no Hi-Matsuri (Festival do Fogo – 14 de julho), realizado em Nachi-Katsura, província de Wakayama. Consiste no acendimento de 12 enormes tochas que são carregadas pelos monges vestidos com mantos brancos, no santuário de Nachi.
  • Gion Matsuri (17 a 24 de julho), realizado em Kyoto, pode-se dizer que é o maior festival da cidade, e sua realização data do século 9º, quando as pessoas procuravam a proteção dos Deuses contra a peste mortal que assolava a cidade. O festival é de encher os olhos, com seus diversos carros alegóricos que desfilam pela cidade no dia 17 de julho.
  • Kangensai Music Festival (meados de julho e inicio de agosto), realizado em Miyajima, na província de Hiroshima. Consiste em um festival de música clássica e danças da corte, realizadas em barcos ricamente ornados no santuário de Itsukushima.
  • Tenjin Matsuri (24 e 25 de julho), realizado em Osaka, sua celebração se dá no santuário Tenman-gu, onde uma frota de barcos carrega santuários portáteis pelo rio Dojima acompanhada pelo som dos tambores japoneses.
  • Hanabi Taikai (último sábado de julho), realizado em Tóquio, com a queima de fogos de artifício no rio Sumida, próximo de Asakusa, revivendo as celebrações do período Edo.

AGOSTO

  • Neputa Matsuri (1º a 7 de agosto), realizado em Hirosaki, e Nebuta Matsuri, realizado em Aomori são festivais muito populares entre os Japoneses, a ponto de serem televisionados. Neles enormes figuras de papel machê pintadas e iluminadas são expostas em carros alegóricos que desfilam pela cidade.
  • Kanto Matsuri (4 a 7 de agosto), realizado em Akita, e consiste em uma prova para os homens, que se equilibram em enormes postes com lanternas penduradas nas suas costas, testas, queixo e quadris.
  • Sendai Tanabata (6 a 8 de agosto), realizado em Sendai, província de Miyagi. As ruas são enfeitadas com serpentinas coloridas e estandartes. Em alguns lugares é celebrado em julho.
  • Awa Odori (12 a 15 de agosto) realizado em Tokushima, Shikoku, ocasião em que toda a cidade se junta em uma comemoração para dançar e cantar. As festividades duram quatro dias e quatro noites. Originalmente a Festival foi criado para comemorar a construção de um castelo naquela região, por volta de 1587.
  • Bon (Festival dos Mortos – 13 a 16 de agosto), realizado em todo o Japão, consiste em ritos religiosos ligados ao Budismo, sob a crença de que os espíritos dos mortos voltam ao mundo no verão, para visitar seus parentes e amigos. Então, em homenagem, os familiares limpam e decoram os túmulos em cerimônias familiares. Festas de dança se realizam à noite durante o período do festival.
  • Daimonji Bonfire (16 de agosto), realizado em Kyoto, cinco grandes fogueiras são acesas no alto das colinas que circundam a cidade, marcando o fim do Bon, tudo seguido de danças.

SETEMBRO

  • Hachiman-gu Festival (14 a 16 de setembro), realizado em Kamakura, consiste em uma procissão de carros alegóricos, seguida por arqueiros a cavalo, no santuário de Hachiman-gu (o Deus da Guerra), atraindo uma multidão, para assistir às demonstrações de perícia dos arqueiros.

OUTONO

Época de colheita do arroz e do muitas frutas aparecem nas vendas, é o período em que as folhas das árvores caem, a colheita do arroz é feita e as crianças voltam para a escola. Apesar do calor continuar, as praias costumam ficar vazias e o frio começa a aparecer no norte, onde às vezes neva.

OUTUBRO

  • Kunchi Matsuri (7 a 9 de outubro), realizado em Nagasaki, é a festa onde se faz a Dança do Dragão; este costume encontra suas raízes na China, e consiste em pessoas vestindo uma fantasia conjunta de um dragão oriental, que serpenteia entre os carros alegóricos decorados em forma de guarda chuva, nas proximidades do santuário de Suwa.
  • Takayama Matsuri (9 e 10 de outubro), realizado na prefeitura de Gifu, mais precisamente no santuário de Hachiman-gu de Takayama, e consiste no festival da colheita, que é acompanhado por uma procissão de carros alegóricos.
  • Kenka Matsuri (14 e 15 de outubro), realizado em Himeji, província de Hyogo, nas dependências do santuário de Matsubara, jovens quase nus, carregam o mikoshi e se desafiam nas técnicas de equilíbrio.
  • Doburoku Matsuri (14 a 19 de outubro), realizado em Shirakawa-go, província de Gifu, serve ao propósito de festejar a colheita com danças e bebidas.
  • Nagoya Festival (meados de outubro, começando em uma sexta-feira e terminando no domingo), consiste em uma longa procissão pelas ruas de Nagoya, com a retratação de personagens históricos.
  • Tosho-gu Fall Festival (17 de outubro), realizado em Nikko, na província de Tochigi, japoneses – descendentes de samurais – vestem belas armaduras e seguem com santuários portáteis.
  • Jidai Matsuri (Festival das Idades – 22 de outubro), realizado em Kyoto, é um dos maiores festivais da cidade, onde são recriados 1.200 anos de história local. Sua realização data desde 1895 – o que é considerado relativamente novo – para comemorar a longa história de Kyoto. Nele as pessoas costumam se vestir com trajes do século 8º em diante, para desfilar em frente ao palácio Imperial e do santuário Heian.
  • Kuram Matsuri (Festival do Fogo – 22 de outubro), realizado em Kyoto, tochas são acessas em todo o percurso até o santuário de Yuki, em Kurama, onde as crianças desfilam.

NOVEMBRO

  • Karatsu Kunshi (2 e 3 de novembro), realizado em Kyushu, consiste em um desfile colorido de carros alegóricos, em torno do santuário de Karatsu.
  • Daimyo Gyoretsu (3 de novembro), realizado em Hakone, consiste em uma encenação de uma procissão de lordes feudais na velha estrada de Tokaido, entre Edo e Kyoto.
  • Tori-no-ichi (Feira do Ancinho – meados de novembro), realizado em Tóquio. São montadas barracas no santuário Otori, perto de Asakusa, onde vendem ancinhos decorados (kumade), que têm a finalidade de atrair dinheiro no próximo ano.
  • Shichi-go-san (Festival das Crianças Sete-cinco-três – 15 de novembro), realizado em todo o Japão, os pais levam as crianças – vestidas de kimonos tradicionais – aos santuários para agradecer pela saúde e pedir outras bênçãos.

INVERNO

Estação do frio, a temperatura começa a baixar a partir de Hokkaido, no norte de Honshu e a oeste do Alpes japoneses no fim de outubro. Oportunidade de ver neve em Tóquio, que dura poucos dias. Entretanto, em Kyushu, as temperaturas não baixam muito, tendo dias de calor, porém com pouca umidade. Em Okinawa é ainda mais quente tendo pancadas de chuva.

O período de Ano-Novo é considerado alta-temporada de viagens.

DEZEMBRO

  • On Matsuri (15 a 18 de dezembro), realizado em Nara, no santuário de Kasuga, onde uma procissão de cortesãos, servidores e lutadores de épocas antigas desfilam em homenagem a Wakamiya o filho de duas divindades Kasuga (cervo).
  • Hagoita-Ichi (Feira do Jogo de Volante – 17 a 19 de dezembro), realizado em Tóquio. Nesta feira, volantes decorados são vendidos no recinto do templo Senso-ji.
  • Namahage (31 de dezembro), realizado em Oga, prefeitura de Akita, é consiste em uma tradição estranha para os ocidentais, na qual homens usando mascaras grotescamente feias visitam as casas assustando as crianças para que elas sejam boas.
  • Okera Mairi Cerimony (31 de dezembro), realizado em Kyoto, consiste em uma cerimônia de final de ano, em que é as pessoas pegam uma brasa da grande fogueira que é acessa no santuário de Yasaka, e levam para casa, com a finalidade de acender suas lareiras no ano novo.

JANEIRO

  • Dia do Ano Novo (1º de janeiro), realizado em todo o Japão, representa o maior festival religioso do Japão. Ocasião em que a maioria das pessoas comem macarrão soba na noite anterior, acreditando que isso lhes dará vida longa. Muitos também aproveitam para assistir ao por do Sol, pois acreditam que isso dá sorte. E os primeiros dias do ano são dedicados à família com visitas a templos e santuários para aquisição de talismãs.
  • Dezomshiki (Desfile do Ano Novo – 6 de janeiro), realizado em Tóquio, consiste em uma apresentação do Corpo de Bombeiros, em que seus integrantes fazem acrobacias no alto das escadas de bambu.
  • Usokae (Troca de piscochilreiro – 7 de janeiro) realizado em Dazaifu, província de Fukuoka, o Festival do Santuário de Dazaifu Tenmangu mantém a tradição de trocas de aves de madeira, entre seus participantes.
  • Toka Ebisu Festival (9 a 11 de janeiro), realizado em Osaka, é a celebração à divindade Ebisu, feita no santuário Imamiya, pelos comerciantes que esperam ter sorte no ano que se inicia.
  • Yamayaki (Festival da Queima de Capim – Vespera do Dia da Maioridade), realizado em Nara, e consiste na atividade de queimar o capim velho no monte Wakakusayama, para iniciar o ciclo de uma nova vegetação.

FEVEREIRO

  • Setsubun (Festival do Arremesso de Soja – 3 ou 4 de fevereiro), realizado nos principais templos do país, quando celebridades jogam grãos de soja seca na multidão para livra-los dos maus espíritos.
  • Festival das Lanternas (3 ou 4 de fevereiro), realizado em Nara, onde cerca de três mil lanternas são acesas atraindo uma multidão ao santuário de Kasuga.
  • Yuki Matsuri (Festival da Neve – início de fevereiro), realizado em Sapporo, Hokkaido, onde esculturas de neve e gelo são feitas no parque de Odori.
  • Saidai-ji Eyo Matsuri (Festival dos Desnudos – 3º sábado de fevereiro), realizado em Saidai-ji, província de Okayama. Celebrado no templo Saida-ji, onde jovens devotos usando fundoshi (tangas), disputam um par de bastões sagrados jogados na escuridão pelos sacerdotes.