Origami – A arte da dobradura de Papéis

0

Podemos resumidamente descrever o “origami” como a arte de dobradura de papéis. É uma arte milenar japonesa cujo nome deriva da palavra “orikami” que significa dobrar papel.

Não existe um registro oficial que possa datar com precisão o surgimento da arte do origami; alguns historiadores acreditam que tenha surgido na mesma época da invenção do papel, por volta dos séculos V e VI.

Conforme dito, a técnica se originou no Japão e, após a abertura do país no fim da era Tokugawa, rapidamente se espalhou pelo mundo inteiro, sendo, conseqüentemente aperfeiçoada com novas figuras.

As figuras representadas no origami têm diferentes significados para os japoneses, como, por exemplo, tsuru (cegonha) simboliza a felicidade, boa sorte e saúde, o sapo significa amor e felicidade, entre outros. As primeiras dobraduras foram criadas quando o Estado e a religião eram um só, dessa forma representavam a natureza das cerimônias religiosas (PERCÍLIA, Eliane – http://www.brasilescola.com)”.

A professora Eliane Percília explica que estas dobraduras, porém, eram a mistura de origami com kirigami (arte de formar figuras através de recortes de papéis), eram confeccionados com papéis manufaturados unicamente para o uso dos sacerdotes xintoístas. Com a intenção de honrar o espírito das árvores que davam vida ao papel, os sacerdotes xintoístas passaram a pregar regras rígidas para a arte do origami como, por exemplo, não cortar ou colar as folhas.

Como tudo no Japão, a arte de dobradura também tinha um caráter contemplativo, onde a arte se misturava com a religião, por conta disso, somente era praticada por adultos, até que, em meados do século XIX, a arte de dobradura passou a ser ensinada nas escolas, e hoje faz parte da educação japonesa.

Estudos mais recentes apontam para os benefícios que a prática do Origami proporciona ao desenvolvimento intelectual da criança, uma vez que desenvolve a capacidade criadora, além de contribuir para o desenvolvimento da psicomotricidade.

FAÇA VOCÊ MESMO UM TRABALHO COM SEU FILHO.

Para se fazer um bom trabalho com crianças, primeiro deve-se adquirir o material. Nada de papel ofício ou A4 branco. Isso não aguça a curiosidade da criança, e mesmo que consiga, a figura não ficará graciosa.

Então, adquira papéis de diversas cores ou estampas, de preferência quadrados; se não conseguir quadrados, corte-os para este formato.

Para se fazer um origami, vamos utilizar um pequeno número de dobras diferentes que, no entanto, podem ser combinadas de diversas maneiras, para formar figuras mais complexas. Mas isto vamos deixar para uma outra ocasião.

De posse dos papéis decorados, vamos ao trabalho!

Para hoje vamos aprender a fazer o Tsuru (cegonha) que simboliza a felicidade.

origami-tsuru-felicidade

Compartilhe.

Sobre o Autor

André Miranda

Nascido no Rio de Janeiro, mas, devido a sua ascendência nordestina, criado na Bahia, começou Karatê em 1988, na extinta Lince Karatê Clube, com a Sensei Amanda Barcelar Pires (primeira faixa-preta mulher da Bahia, aluna de Denilson Caribé - ASKABA). Graduou-se faixa preta pela FNAM, com o Sensei Masco Monteiro. De volta ao Rio de Janeiro, continuou seu treinamento com o Sensei Humberto Amorim (6º Dan), no Quartel São João da Urca, com quem continua treinando. Praticante do estilo Shotokan Ryu, o qual é 3º Dan, em 2009 começou a praticar Jiu-Jitsu (sob a orientação do Sensei Gustavo Souza - 6º Dan) e Aikido (sob a orientação do Sensei Luciano Santana - 4º Dan). Amante da cultura Japonesa fundou o Instituto Ishindo, onde busca difundir a cultura e tradição marcial japonesa.

Comments are closed.