Um pouco sobre a história do Karatê

0

1511496_661120860618801_464704345_n

Abaixo estão transcritas algumas palavras do Mestre – Sensei Yasutaka Tabaka, que nos fala um pouco sobre a história do Karatê no Brasil e como se subdividiu em representações no Mundo

Algumas palavras do Mestre a respeito do Karatê-Do Tradicional:

“Em 1962, quando cheguei ao Rio de Janeiro, o Karatê era desconhecido pela maioria do povo carioca. Pouquíssimas pessoas tinham conhecido e treinado essa arte marcial, entre essas, o professor de educação física Lirton Monassa. Conheci Lirton e o professor de judô Almerídio Brandão, mais conhecido como Marujo, no Ginásio Brasileiro de Cultura Física. Ambos conheciam a luta e sua filosofia. Foi com a ajuda deles que consegui divulgar e popularizar o karate. Nascia então, na praia de Botafogo, a academia Kobukan, hoje CLUBE DE ARTES MARCIAIS KOBUKAN. Logo depois, Lirton Monassa tornou-se o primeiro faixa-preta brasileiro.

Nas décadas de 70 e 80, já havia várias Federações Estaduais, subordinadas a uma Confederação Brasileira.

12719251415_1703e782e6_b

Houve então uma cisão no Karatê estilo Shotokan mundial, sendo criadas duas federações de âmbito internacional: a W.U.K.O. (World Union Karate Organization) e a I.T.K.F. (International Traditional Karate Federation). O COI (Comitê Olímpico Internacional) reconheceu as duas federações. No entanto, aqui no Brasil não se queria reconhecer duas federações para o que se considerava um mesmo esporte. Nesse momento entra em cena o professor Manoel Tubino, que já treinara comigo e era presidente do C. N. D. (Conselho Nacional de Desportos), órgão máximo do desporto brasileiro. Graças a ele – deixo aqui o meu agradecimento – consegui que reconhecessem que o Karatê Tradicional diferia do praticado pela WUKO. Com isso, pude continuar ensinando e divulgando o karatê que aprendi no Japão.”

Fonte:Karatê JKA

Agora, vemos a notícia que várias entidades mundiais de diferentes estilos de karatê, estão se unindo, em um esforço para tornar o karatê um esporte olímpico.

No ultimo dia 16 deste mês de abril, a IKO Kyokushin kaikan e a Federação Japonesa de Karate (JKF) no Japão, realizou uma conferência de imprensa para anunciar o início de um esforço em conjunto, como organizações colaboradoras, com o objetivo de ingressar o Karate nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020 em Tóquio.

A conferência contou com a presença do Presidente da JKF Takashi Sasagawa, do secretario geral da WKF o senhor Toshihisa Nagura, e do presidente da IKO Kyoukushin Kaikan, Shokei Matsui.

Esse é mais um capítulo da história do karatê que está se desenvolvendo. Vamos esperar e ver o que acontece.

Oss.

Share.

About Author

André Miranda

Nascido no Rio de Janeiro, mas, devido a sua ascendência nordestina, criado na Bahia, começou Karatê em 1988, na extinta Lince Karatê Clube, com a Sensei Amanda Barcelar Pires (primeira faixa-preta mulher da Bahia, aluna de Denilson Caribé - ASKABA). Graduou-se faixa preta pela FNAM, com o Sensei Masco Monteiro. De volta ao Rio de Janeiro, continuou seu treinamento com o Sensei Humberto Amorim (6º Dan), no Quartel São João da Urca, com quem continua treinando. Praticante do estilo Shotokan Ryu, o qual é 3º Dan, em 2009 começou a praticar Jiu-Jitsu (sob a orientação do Sensei Gustavo Souza - 6º Dan) e Aikido (sob a orientação do Sensei Luciano Santana - 4º Dan). Amante da cultura Japonesa fundou o Instituto Ishindo, onde busca difundir a cultura e tradição marcial japonesa.

Comments are closed.